Mais de 1600 horas foram disponibilizadas para a produção de silagem

Mais de 1600 horas foram disponibilizadas para a produção de silagem


Publicado em: 30/01/2020 11:41 | Fonte/Agência: Assessoria de Imprensa

Whatsapp

 

Mais de 1600 horas foram disponibilizadas para a produção de silagem

No município, são produzidas silagem de milho, sorgo, trigo e aveia para a alimentação dos animais ao longo do ano.

Ao longo do ano de 2019, a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Paraí disponibilizou aos produtores locais mais de 1.600 horas de serviços de tratores com ensiladeira e de uma colhedora de foragem auto propelida. Com relação a 2018, foram quase 100 horas a menos de serviço, isso, em virtude da agilidade conquistada com o uso da colhedora, que faz o trabalho em menor tempo e com uma maior qualidade.

A colhedora de foragem auto propelida consegue cortar até cinco fileiras de milho, no caso da produção de silagem desta planta, além de possuir uma melhor qualidade de corte e de quebradura de grãos. Devido as grandes vantagens deste maquinário e a procura pelos produtores, neste ano, a Prefeitura passa a oferecer os serviços de duas colhedoras, além dos tratores com ensiladeira, para a produção de silagem de milho, que já está em andamento no município.

Segundo a Emater de Paraí, foram cultivados no município na safra 2019/2020, mais de 2 mil hectares de milho. Devido à estiagem que atingiu grande parte do Estado no final do último ano, a Emater acredita que a perda na produção de silagem deva chegar aos 60% em Paraí. “A primeira etapa do milho que foi plantado até metade de outubro deve registrar mais perdas. Com poucos nutrientes o grão não encheu e a planta também não ganhou volume”, afirma o extensionista da Emater, Orivaldo Trevizan.

Com plantas menos desenvolvidas, o extensionista explica que haverá perdas na quantidade de alimento disponível para os animais. “Uma mesma área de plantio vai render uma produção menor de silagem, mas o produtor precisa de um determinado volume para manter a alimentação dos animais durante o inverno, por isso, o pessoal está replantando milho e sorgo em algumas áreas para garantir o volume necessário de silagem para o ano. Além de que, com uma silagem com valor nutricional menor, os produtores muito provavelmente terão que utilizar complementos para garantir a qualidade da alimentação dos animais e evitar perdas na produção”, finaliza Orivaldo ao destacar que as perdas com a estiagem também devem ser sentidas no setor leiteiro do município. A silagem é um dos principais alimentos utilizados pelos produtores de gado leiteiro em Paraí, devido ao tamanho das propriedades, que impossibilitam a manutenção de grandes áreas para pastagens.

Conforme a Secretaria de Agricultura, a maior demanda por maquinário para a produção de silagem deve se concentrar até o início do mês de abril, com o fim das colheitas de milho e sorgo, retornando apenas em meados de setembro, para a produção de silagem de trigo e aveia.

Os serviços de máquina para a produção de silagem devem ser solicitados na Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, na Prefeitura Municipal, que oferece aos produtores rurais que estiverem em dia com a Fazenda Municipal, ou seja, não possuam débitos com o Município, um incentivo de 40% de desconto na hora máquina. O produtor que pagar o valor do serviço em parcela única em até 30 dias recebe um desconto extra, de mais 5%.


Leia também

Desenvolvimento Econômico, Social e Desporto

Realizado primeiro sorteio dos apartamentos do Programa Habitacional Meu Novo Lar

27/01/2020 10:37

Desenvolvimento Econômico, Social e Desporto

Município de Paraí passa a oferecer Passe Livre ao Trabalhador

20/01/2020 13:56

Agricultura e Meio Ambiente

Paraí decreta situação de emergência por conta da estiagem

14/01/2020 18:40